quarta-feira, 11 de novembro de 2009


.
.
.
PUBLICADO NO GLOBO
.
'Bolsa Celular': alô, alguém acredita nisso?'
Artigo do leitor Silvio Teles
.
Venhamos e convenhamos, o populismo do presidente Lula está indo longe demais. Demasiadamente criticado pelo "Bolsa Família" que, se por um lado tem mudado a face da economia do Nordeste - dando-lhe, maior dinamicidade em virtude do fator consumo -, por outro tem aprisionado o povo ao comodismo de uma renda atrelada a uma condição não produtiva nem educacional - o que perpetua a miserabilidade e a dependência -, Lula e sua equipe pensam agora na concessão, para as 11 milhões famílias do Bolsa Família, de um novo benefício: o Bolsa Celular.
.
Essa novidade - que mais parece uma piada - está sendo planejada pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa. Ele afirmou já ter entrado em contato com algumas empresas de telefonia móvel. A idéia é conceder às famílias das classes D e E um telefone celular com R$ 7 (sete reais) mensais de crédito, tudo de graça. As empresas fariam isso e, em troca, não seriam taxadas pelo Fundo de Fiscalização das Telecomunicações, imposto devido sempre que uma empresa incorpora um celular à sua rede. Ou seja, o governo abriria mão de uma receita que, em dois anos, pode somar R$ 2 bilhões. Logicamente, por fora, devem estar sendo acertados os valores das "doações" para a campanha de 2010.
.
Sinceramente, não falta mais nada no Brasil. Como já estamos num patamar excelente de saúde, educação e segurança pública, vale mesmo a pena pensar num projeto social como esse "Bolsa Celular". Já que ninguém morre no Brasil por falta de saneamento básico, pelo desabamento de barracos em morros e encostas, já que não temos mais vitimados por doenças medievais como dengue ou diarreia, não há mais filas nos postos de saúde, ninguém mais morre de fome, nem de sede ou desnutrição, e como não há mais crianças nos semáforos, vá lá, Lula, apoiamos o seu "Bolsa Celular".
.
Digo mais, presidente: agora que o senhor não sabe mais o que fazer com o nosso dinheiro, eis algumas sugestões: que tal uma "Bolsa Chapinha" para ajudar no visual? Seria muito legal também uma "Bolsa Massageador" pAra tirar o estresse, não acha? No verão, uma "Bolsa Profiteróles"! E uma "Bolsa Playstation 3" para a garotada! Outra que vai "bombar" é a "Bolsa Academia". Ah! Como pode haver sedentarismo, que tal uma "Bolsa Spa", para impedir a obesidade? Agora, se o senhor quer mesmo eleger a Dilma Rousseff, um conselho: crie a "Bolsa 51"! Uma boa idéia, não é? Com a caninha, o senhor "poca" qualquer urna!
.
Sabe, presidente, eu até estou pensando em deixar meus empregos e me incluir na classe E. Parece ser mais vantajoso... Pense comigo: lá não vou precisar trabalhar, nem estudar, nem fazer nada para ganhar, do senhor, quase tudo: casa, comida, roupa, assistência médica e funerária e, agora, até celular! Para que acordar cedo, enfrentar o trânsito caótico, trabalhar penosamente o dia todo, aguentando o chefe mal-humorado e, no fim do dia, ainda quebrar a cabeça na faculdade? É melhor ficar em casa ou no boteco, gastando o que receberei do senhor...
.
Por fim, presidente, para um operário, trabalhador e torneiro mecânico (como o senhor faz questão de dizer que foi), bem que vossa excelência gosta de dar moleza ao povo. Mas parece que somente aos desocupados. Porque, para quem trabalha, o transporte público falece e os impostos sufocam. Para quem estuda, as escolas públicas sucumbem. Até a restituição do IR está atrasada. Para quem produz e toca o Brasil para frente, não tem moleza, nem celular de graça. Mas o senhor é inteligente: é mais fácil, mesmo, manter o cabresto e garantir o voto de quem depende exclusivamente da sua bondade. Além do mais, senhor presidente, essa política de premiar o ócio é a sua cara, companheiro! Alô?
.
Fonte:
O Globo

Um comentário:

Gilmar Moschem disse...

Olá amigo,

Fiz uma indicação de seu excelente blog no meu post.
Parabens
Abraços
Gilmar